Selecciona Edición
Selecciona Edición
Tamaño letra

Putin adverte Snowden de que não quer prejudicar relações com os EUA

“As relações internacionais são mais importantes que as lutas dos serviços secretos”, disse o presidente russo

Espera-se que Snowden obtenha permissão para entrar oficialmente em território russo nos próximos dias

El presidente Vladimir Putin en una reunión en Siberia este martes. Ampliar foto
El presidente Vladimir Putin en una reunión en Siberia este martes. AP

O presidente russo, Vladimir Putin, advertiu o ex-analista da CIA, Edward Snowden, de que o Kremlin não permitirá atividades antiamericanas na Rússia. Snowden, que denunciou a espionagem eletrônica em massa dos EUA, pediu formalmente asilo à Rússia na terça-feira da zona de trânsito internacional do aeroporto de Sheremétievo, onde está desde 23 de junho, sem poder viajar a outro país desde que Washington anulou o seu passaporte.

“As relações internacionais são mais importantes que as pugnas dos serviços secretos. Para o Kremlin é inaceitável qualquer atividade que prejudique a Rússia ou os EUA”, declarou Putin antes de voar de Chita a Moscou. “Snowden foi alertado”, acrescentou Putin, dando a entender que acatará a petição estadunidense.

“Não podemos nos comportar como outros países e não o faremos. A Rússia tem uma política internacional independente e nós a aplicaremos. Esperamos que os nossos sócios entendam e reajam com tranquilidade e compreensão”, declarou. Ao mesmo tempo, ele deixou claro que Moscou não extraditará o ex-analista.

Mais uma vez, Putin não resistiu à ironia: quando se defende os direitos humanos “é muito fácil fazê-lo sob a égide dos Estados Unidos, com o seu apoio, inclusive financeiro, e assistência política e de informação. Mas se alguém pretende criticar os EUA, aí o assunto é mais complicado. O exemplo do avião do presidente boliviano deixou isto claro.”

Na segunda-feira, Putin havia comentado que Snowden foi parar na Rússia por acaso, que não pretendia ficar e não tinha sido convidado, ele apenas chegara como passageiro em trânsito para outro país, mas os EUA o bloquearam e amedrontaram outros países, e o ex-analista se viu obrigado a permanecer na zona internacional de Sheremétievo.

Agora que formalizou o pedido de asilo, espera-se que em menos de uma semana Snowden receba o documento que lhe permitirá deixar o aeroporto e entrar oficialmente em território russo, assegurou Anatoli Kucherena, advogado que o assiste quanto à legislação russa. Uma vez na cidade, Snowden teoricamente terá liberdade para se deslocar. O processo de concessão de asilo pode levar três meses. Diversas personalidades e políticos se pronunciaram favoráveis à concessão do asilo, inclusive dirigentes máximos de ambas as câmaras do Parlamento.

Tradução: Cristina Cavalcanti

Más información